Emiliano José: “Não há desejo de vingar a ditadura, apenas o desejo de justiça”

Por Claudilene Gonzaga, coordenadora pedagógica nacional do Projeto MOVA-Brasil

Emiliano Jose

Palestra do professor e escritor Emiliano José na Formação Inicial do Polo Bahia

Emiliano José, professor e escritor, foi preso político aos 24 anos de idade, durante a ditadura militar no Brasil. Na tarde da quarta-feira, dia 9 de abril, Emiliano participou da Formação Inicial dos Monitores e Coordenadores Locais do Polo Bahia, discutindo sobre os reflexos dos 50 anos do golpe civil militar, especialmente na educação.

Continuar a ler

Polos realizam Formação Inicial dos Coordenadores Locais

Formaca_Inicial_Coordenador_Polo_PoloPE_01e020414 (4)

Luciano Ramos e Luiz Lourenzon, articuladores sociais, durante a formação

De 1º a 3 de abril, acontece nos 10 polos do Projeto MOVA-Brasil (Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Maranhão, Minas Gerais, Pernambuco/Paraíba, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Sergipe) a Formação Inicial dos Coordenadores Locais, realizada pelas coordenações dos polos e acompanhadas pela Coordenação Pedagógica do Projeto e pela equipe do Instituto Paulo Freire (IPF). Continuar a ler

Reunião no Polo Rio Grande do Norte

IMG-20140328-WA0000 para site

(Da esq. para a dir.): Claudilene Gonzaga, Fran Pini, Josileide Oliveira, Mara Cruz e Jailson Morais durante a reunião no Polo Rio Grande do Norte

Para encaminhar questões pedagógicas e administrativas, aconteceu, na quinta-feira, 27 de março, uma reunião com a equipe do Polo RN. Participaram do encontro: Francisca Pini (diretora pedagógica do Instituto Paulo Freire); Mara Cruz, da Federação Única dos Petroleiros (FUP); Claudilene Gonzaga (da Coordenação Nacional); Josileide Oliveira (coordenadora do Polo RN); Karina Oliveira (auxiliar administrativa); Jailson Morais (articulador social) e as assistentes pedagógicas Clayse-Anne de Medeiros e Jussara Araújo. O grupo saiu fortalecido do diálogo.

Clique aqui e confira a página do Projeto MOVA-Brasil no Facebook.

Pela liberdade, pela democracia e pelos direitos humanos

Em 2014, “descomemoramos” o Golpe de 64, refletindo acerca dos 50 anos legados em nossa história recente. Recuperar a memória e a verdade deste período histórico é imprescindível, uma vez que os impactos e as heranças do golpe civil e militar ainda são visíveis na cultura política de nosso país, por meio das inúmeras violências sofridas pela classe trabalhadora e pelos militantes de esquerda; o extermínio da juventude negra nas periferias de São Paulo, do Rio de Janeiro e tantos outros locais, as manifestações de intolerância e preconceito em relação às mulheres, indígenas, negros, homossexuais etc.

Nós, brasileiros e brasileiras dos movimentos sociais e sindicais, manifestamos com veemência nossa discordância à convocação da Marcha da Família, prevista para o dia 22 de março de 2014, em São Paulo, no Rio de Janeiro e em outras 200 cidades, aproximadamente, pelo fato de representar um apoio à tortura, aos desaparecimentos e aos homicídios, de tantas famílias que tiveram seus direitos violados durante a ditadura civil e militar.

Este evento se apresenta como evocação à Marcha da Família com Deus Pela Liberdade, de 1964, em resposta ao comício da Central, do governo João Goulart, que acabou contribuindo efetivamente para a instauração do golpe civil e militar, em 31 de março de 1964.

Esse período da ditadura foi enfrentado corajosamente por vários sujeitos que lutavam (e lutam), em grande maioria, atrelados aos movimentos sociais e sindicais, contra o recrudescimento da censura, contra as torturas e perseguições, associados ao redimensionamento das estratégias de luta por uma sociedade democrática, justa e afirmadora dos direitos políticos, civis e sociais.

Assim, no dia 22 de março, queremos marchar em busca da liberdade, da igualdade de direitos, das verdades acerca dos assassinatos e extermínios que o Estado brasileiro vem cometendo nos últimos 50 anos – e na defesa de uma educação emancipadora, de um projeto popular de Educação em Direitos Humanos que assegure a concepção de homem/mulher como sujeitos históricos, que problematize a história das lutas sociais, afirme valores e princípios humanizadores (democracia de base, participação ativa, liberdade, dignidade e respeito à diferença como parte da vida social) e aponte, sobretudo, para a necessidade histórica da construção de um projeto de sociedade sem exploração e sem opressão.

ABAIXO A DITADURA E O CONSERVADORISMO!
Queremos uma pátria livre, para todas as pessoas que vivem cotidianamente sem direitos humanos!

Entidades que subscrevem:
Instituto Paulo Freire e Federação Única dos Petroleiros

Poesia, direitos humanos e história

“A construção de uma sociedade solidária depende de cada um de nós”, diz Thiago de Mello

“A construção de uma sociedade solidária depende de cada um de nós”, diz Thiago de Mello

Com a especial participação do poeta amazonense Thiago de Mello, a Formação Inicial do Projeto MOVA-Brasil é marcada pela emoção e pelo debate sobre os direitos humanos. Confira os detalhes e as fotos do 3º e 4º dias do encontro.

Continuar a ler

Estudo, mística e orientações na 1ª Formação Inicial de 2014

Articuladores sociais do Projeto (da esq. para a dir.): Manoel Ramos (mais conhecido como Black), José Genivaldo da Silva, Marcondes Muniz e Jailson Morais

Entre os dias 17 e 21 de março, ocorre a Formação Inicial da Coordenação de Polo, assistentes pedagógicos, auxiliares administrativos e articuladores sociais do Projeto MOVA-Brasil. Confira os detalhes de cada dia do encontro.

A abertura da Formação, na segunda-feira, dia 17, às 13h30, contou com a presença de representantes do Comitê Gestor: os articuladores sociais da Federação Única dos Petroleiros (FUP), entre eles José Genivaldo da Silva; a gestora do Projeto pela Petrobras, Ellen Costa Mendes; a diretora pedagógica do Instituto Paulo Freire (IPF), Francisca Pini e o presidente de honra do IPF, Moacir Gadotti. Confira a galeria de fotos.
Continuar a ler

Poeta Thiago de Mello participa da Formação Inicial do Projeto MOVA-Brasil

IPF 097

Coordenadores de polo, assistentes pedagógicos, auxiliares administrativos, articuladores sociais e Comitê Gestor do Projeto MOVA-Brasil, que estarão em formação a partir de segunda-feira (17/03), em São Paulo, serão presenteados com uma palestra do poeta amazonense, Thiago de Mello, no dia 20 de março, às 11h.

Aos 87 anos, Thiago de Mello é um dos poetas mais influentes e respeitados no país, reconhecido como um ícone da literatura regional. Tem obras traduzidas para mais de trinta idiomas. Preso durante a ditadura (1964-1985), exilou-se no Chile, onde conviveu com o amigo Paulo Freire. Com o fim do regime militar, voltou à sua cidade natal, Barreirinha, no Estado do Amazonas, onde vive até hoje.

A Formação Inicial do Projeto MOVA-Brasil – 6ª etapa – 2014 acontece entre os dias 17 e 21 de março de 2014, em São Paulo, no Hotel Dan Inn.

1ª Formação Inicial do Projeto MOVA-Brasil – 6ª etapa 2014

A Formação, que acontecerá em São Paulo, reunirá coordenadores de polo, assistentes pedagógicos, auxiliares administrativos e articuladores sociais de todo o País

Entre os dias 17 e 21 de março de 2014, coordenadores de polo, assistentes pedagógicos, auxiliares administrativos, articuladores sociais e Comitê Gestor participarão da 1ª Formação Inicial do Projeto MOVA-Brasil – 6ª etapa 2014.

A Formação tem como objetivos:
• integrar os participantes para a etapa que se inicia a partir da avaliação de 2013 e das diretrizes do Projeto;
• refletir sobre as contribuições da Educação em Direitos Humanos na Educação de Jovens e Adultos (EJA);
• refletir e aprofundar os estudos sobre o processo de alfabetização dos educandos do Projeto e da etnomatemática;
• definir uma Agenda Política do MOVA-Brasil para qualificar a participação do Projeto nos espaços de fortalecimento da EJA;
• compreender as orientações básicas sobre o processo de gestão (financeira, administrativa, pedagógica e RH) do Projeto MOVA-Brasil nos polos.

Cerca de 70 pessoas participarão dessa formação, em São Paulo, capital.

Clique na imagem para conferir a programação completa.

capa

Promova Consciência com Educação Popular em Direitos Humanos

Imagem


logo_campanha_PROMOVA-CONSCIÊNCIA-COM-EDUCAÇÃO-EM-DIREITOS-HUMANOS_v4

A campanha “Promova Consciência com Educação em Direitos Humanos” foi lançada pelas entidades promotoras – Instituto Paulo Freire (IPF), Petrobras, Federação Única dos Petroleiros (FUP), Núcleo de Trabalhos Comunitários da Faculdade de Educação da PUC/SP (NTC-PUC/SP), Centro Gaspar Garcia de Direitos Humanos, Movimento Nacional dos Direitos Humanos, Mandato da Vereadora Mazé Favarão - Câmara Municipal de Osasco e Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST) – durante o Fórum Mundial de Direitos Humanos, que aconteceu em Brasília, de 10 a 13 de dezembro de 2013.


Objetivo
Problematizar os direitos humanos como construção sócio-histórica e em favor da classe trabalhadora, por meio de processos formativos a serem desenvolvidos nas políticas setoriais, movimentos sociais, sindicais, mídia, empresas, legislativo, judiciário e executivo, para promover o reconhecimento da diversidade cultural, a construção de relações sociais que educa para e pela cidadania.


Adesão à Campanha
promovaconscienciaedh@gmail.com
facebook.com/promovaconscienciaedh